Pular para o conteúdo
Início » Autocuidado: como torná-lo um hábito

Autocuidado: como torná-lo um hábito

Cuidar de si mesma é cuidar do todo. Mas estamos o tempo todo começando e desistindo deste cuidado. Por que será?

Hoje em dia fala-se muito em autocuidado. Mas torná-lo um hábito, para que realmente tenhamos qualidade de vida não é tão simples.

Autocuidado, cuidar de si por si mesmo com o objetivo de viver bem, ter saúde física, mental e emocional é possível, simples. Desde que tenhamos força de vontade.

Para isso é preciso olhar-se de fora e refletir sobre o estilo de vida:

  • Como gerencio meu tempo?
  • O que faço para mim que é bom e dá alegria?
  • Eu tenho tempo para cuidar de mim? Eu tenho interesse em cuidar de mim?
  • Eu me coloco como prioridade?

Após quase dois anos de transição pela qual passamos, nos isolando, sentindo medo, redescobrindo como viver em sociedade, vivendo uma vida virtual e agora podendo retomar presencialmente algumas atividades (mas às vezes preferindo não retomar), muitas de nós tivemos um verdadeiro encontro com nosso eu.

Os cuidados que antes terceirizávamos, passamos a assumir, ou aprender como fazer, ou sendo orientada virtualmente, fazendo “em casa”, tomando a vida em nossas mãos.

No entanto, a autonomia e a autoconfiança pode nos enganar: sabendo como fazer, posso não fazer.

Sei que é bom alongar pela manhã, sei dos benefícios do movimento para a saúde, sei técnicas para respirar melhor, sei que óleos essenciais são benéficos e preventivos. E, por saber, posso chegar ao meu limite, abusando das telas, da má alimentação, trabalhando por mais tempo do que o saudável, deixando o exercício para amanhã. Assim, o autocuidado desaparece.

Uma história para exemplificar

Eu sou professora de yoga. Estudei, ensinei, li muito, pratiquei bastante. Mas passei vários períodos sem praticar, fazendo apenas aulas semanais, abusando do uso de telas, do café e má alimentação. O que estava na minha mente bastava, ou melhor, eu pensava que bastava.

Então vivia uma vida de altos e baixos: quando estava no limite da dor, do desconforto, da exaustão, eu usava meus conhecimentos e me cuidava. Recuperei a vista cansada com trataka, quando melhorei, parei. Respirava bem e conseguia manter-me calma, mas quando as urgências me atropelavam, eu deixava de respirar e metia “os pés pelas mãos”. Dormia tarde e não conseguia acordar cedinho pro sadhana, a prática de yoga habitual.

Logo percebi, no entanto, que não me cuidar regularmente, como hábito, refletia nas relações em casa, na educação das crianças e até profissionalmente.

Entendi que autocuidado é mais que cuidar de mim: é cuidar do entorno e do todo. Estando bem, serei uma mãe melhor, uma profissional melhor. Uma mãe melhor faz uma família melhor, uma profissional melhor leva para o mundo um produto melhor.

E para tudo isso bastou força de vontade, amor por mim mesma e saborear a delícia de ser cuidada. Não sigo o dia sem a prática matinal, faço uso consciente e orientado dos óleos essenciais, bebo água, como bem, durmo bem. Procuro ter pensamentos bons, observar maus pensamentos e atitudes, cerco-me de plantas, sou grata.

Quer um empurrãozinho?

Autocuidado não é fácil de manter. Mas é possível e simples, basta começar. E recomeçar, caso desista. Sempre… Conheça algumas formas de exercer o cuidado consigo e incorpore apenas um por vez:

  • Movimente o corpo: libere hormônios que trazem prazer ao corpo e ao coração.
  • Beba água.
  • Descubra a Aromaterapia, mas com orientação e aos poucos, não entre na moda da quantidade, prefira a qualidade.
  • Conheça mais sobre alimentos e coma bem.
  • Experimente o yoga e a meditação.
  • Consuma arte!
  • Entre em contato regular com a natureza: perceba as cores do céu, olhe para a lua, tome banho de sol, ouça os pássaros, cuide de uma planta.
  • Procure práticas que tragam paz ao espírito.
  • Sorria.
  • Não se apresse demais.
  • Escolha os bons pensamentos.

Faça acontecer!

Esta lista é nossa dica, mas você pode fazer a sua. Pegue 3 folhas e escreva em uma o que fazer para cuidar do corpo físico, na segunda o que fazer para cuidar da sua mente e na última o que fazer para seu coração ficar mais leve.

Coloque num lugar visível e pratique aos poucos, observando o resultado e tornando parte do seu dia a dia, sem desgaste, sem sacrifício.

Foco!! Valerá a pena!

Aqui no Blog Essencial tem vários artigos sobre o autocuidado, dê uma “folheada”!

Cuide-se!

Luiza Paim

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.