Aromaterapia

Aromaterapia para crianças: como utilizar óleos essenciais na infância

Utilizar óleos essenciais em crianças é uma prática que se popularizou nos últimos tempos.

Porém, alguns cuidados devem ser levados em conta: não é porque são extraídos de plantas que os óleos essenciais são inofensivos.

Outro ponto a se considerar é a natureza do desenvolvimento do ser humano. A criança passa por fases específicas e, portanto, por situações de dor, febre, erupções na pele, problemas respiratórios que podem ser a indicação de que o corpo está crescendo, renovando células, eliminando o que não serve mais.

Em outras palavras: muitas vezes basta esperar que o próprio corpo físico ou anímico se restaure. Obviamente, o ambiente deve ser favorável a isso.

Os óleos essenciais servem como aliados para que este ambiente continue favorável ao saudável desenvolvimento da criança.

Quando usar óleo essencial na infância?

Em primeiro lugar é bom já avisar: crianças abaixo de 3 meses não devem ser expostas a nenhum óleo essencial, nem no banho, nem por inalação e muito menos em usos tópicos.

Aviso dado, listamos as principais motivações para uso da aromaterapia em crianças:

  • Regulação do sono
  • Acalmar
  • Alívio respiratório
  • Cuidados com a pele
  • Equilíbrio emocional (especialmente nas fases de crise: 9 anos, puberdade, adolescentes)

As fases do desenvolvimento e suas crises

O desenvolvimento da vida não é uma linha reta. Podemos comparar a uma espiral ou a um caminho de ondas. Há fases lisas e fáceis, outras cheias de obstáculos e dificuldades.

A infância é uma grande fase da vida com diversas subfases que possuem características comuns que se manifestam diferentemente em cada ser. Podemos ter uma noção do que nos espera, mas não certeza e receita de como lidar em cada fase.

Até os 3 anos, a criança ocupa-se em aprender a falar, andar e pensar. Nessa ordem, ela vai ganhando habilidades até que um dia tem consciência de que é um SER. É muito comum passarem por fases de febre sem motivos.

Aos 4,5 anos, ela está imersa no brincar, no mundo imaginativo, fala muito.

Aos 6,7, uma mudança importante: os dentes de leite começam a ser substituídos por permanentes, formados com a força da própria criança, indicando que ela já começa a apresentar sinais de prontidão para sair para o mundo (normalmente para a escola, onde será apresentada ao pensar – ler, escrever, contar).

Entre 9 e 10 anos há uma crise: conhecida como “rubicão” é como se a criança pisasse na Terra de vez, caída do paraíso. Algumas passam a ter a noção de finitude da vida, medo da solidão, choros sem motivos.

Aos 12 outra mudança, entrada na puberdade, uma mexida expressiva no sistema endócrino.

Aos 14, 15, entrada na adolescência e maturação sexual. O pensar próprio se instala e ela começa a ver o mundo verdadeiro.

A aromaterapia pode atuar auxiliando no equilíbrio e dando leveza ao crescimento.

Importante dizer que tanto a família como a criança se beneficiam da aromaterapia, pois ninguém cresce sozinho.

Saiba mais sobre o desenvolvimento humano aqui.

Aromaterapia para as diversas questões infantis

É interessante consultar uma aromaterapeuta experiente para ter uma indicação de uso de óleos essenciais específicos para a situação, porém, há indicações básicas que podem auxiliar na prevenção e na manutenção do equilíbrio do desenvolvimento.

Não recomendamos, de forma alguma, substituição de tratamento médico pelo uso de óleos essenciais. Aromaterapia pode ser aliada e complementar ao tratamento e, para isso, o médico/a deve saber da intenção dos responsáveis pelo uso de óleos essenciais assim como a aromaterapeuta deve conhecer o histórico médico da criança.

Regulação do sono

A primeira regra para regulação do sono é manter o ritmo.

Acordar quando o dia acorda, brincar livre, alternando momentos de introspecção e expansão, alimentar-se em horários regulares, começar a recolher-se quando o dia vai terminando e estar na cama por volta das 19h30, 20h.

É importante respeitar o ritmo diário da criança, independentemente do ritmo adulto. Ritmo é saúde.

Para auxiliar no momento de recolhimento, é interessante aromatizar o quarto da criança. Óleos essenciais que dão bons resultados: Lavanda, Laranja doce, Camomila Romana. Colocar 4 gotas no total no difusor elétrico e completar com água.

Outra boa dica é massagear os pés da criança com Óleo Vegetal Semente de Maracujá. Se quiser, dilua 1 óleo essencial na proporção 0,5%.


Acalmar

Crianças são naturalmente agitadas. É até um termômetro para saber se está saudável: se fica amuada, acendemos o alerta.

Em muitas situações a criança fica brava, frustrada, chora, grita, esperneia, isso porque está lidando com a vida. Nem sempre há a necessidade de interferir, muitas vezes a calma vem depois do desabafo. 

Porém, quando os acessos de raiva são constantes, ou quando se quer diminuir o ritmo que foi estimulado demais (por exemplo em casos de idas em festas, shoppings, ficar acordada até tarde…) há recursos na aromaterapia que podem auxiliar. Lavanda, Camomila Romana, Lemongrass são indicados. 

Alívio respiratório

A respiração é afetada por diversos fatores: alergias, doenças como bronquite, asma, gripes e resfriados.

Há diversos óleos essenciais para o trato respiratório na infância.

Porém, a respiração pode ser melhorada com alguns exercícios simples inspirados no yoga:

Cheira a flor e assopra a vela: 

  • Sentada de pernas cruzadas, a criança fecha os dedos deixando os polegares à mostra.
  • Alterna inspiração e expiração, “cheirando a flor” e “assoprando uma vela”

Balanço da onda do mar:

  • Deitada de barriga para cima, pés separados e braços relaxados, palmas das mãos para cima, a criança coloca um barquinho de papel na barriga e observa o movimento.
  • Na inspiração o barquinho sobe, na expiração ele desce.

Estes exercícios devolvem um ritmo calmo ao respirar e ajudam a criança a experimentar uma respiração mais profunda.

Para ajudar a prevenir sintomas de alergia ou corizas com mudanças de estação, utilize o óleo essencial de Olíbano no difusor de ambiente (4 gotas e complete com água).

Um ambiente limpo e arejado também contribui para a melhora respiratória.

Em casos crônicos de bronquite, asma, e caso se opte pelo uso complementar dos óleos essenciais, (não recomendamos aqui substituir de forma alguma o tratamento médico por óleos essenciais) consulte uma aromaterapeuta e conte os detalhes. Ela poderá indicar o melhor e mais eficaz tratamento.


Cuidados com a pele

Em casos de dermatites, coceiras, empolação, os óleos vegetais são grandes aliados. Podem ser usados puros, sendo o mais indicado para crianças o Semente de Uva, por ser de fácil aplicação e absorção.

Os óleos essenciais que tratam questões de pele em crianças são: Lavanda, Camomila Romana e Ho Wood. Eles devem ser diluídos no óleo vegetal.

No caso de problemas crônicos, a aromaterapeuta deve ser consultada para análise do caso e indicação mais efetiva do óleo essencial.


Equilíbrio emocional (especialmente nas fases de crise: 9 anos, puberdade, adolescentes)

O ser humano passa por diversas fases de crise durante a vida. São elas as responsáveis pelas “viradas” mais visíveis. Atendo-nos à infância, identificamos uma crise por volta dos 9, 12 e 14 anos. 

Lembre-se que é “por volta”, em algumas crianças acontece antes, em outras, depois. Mas por serem comuns a todos os seres, são facilmente identificáveis devido a comportamentos que se repetem.

Sem nos aprofundarmos nas características de cada fase, vamos fazer a indicação mais acertada da aromaterapia para cada uma.

Aos 9, fase em que a criança começa a se despedir da fantasia da infância e perceber o mundo como lugar em que se precisa trabalhar, em que se morre, quando o medo da solidão, o choro fácil aparece, é interessante utilizar o óleo essencial de Bergamota, que instiga a coragem, alegria e positividade.

Aos 12, quando os hormônios da puberdade começam a circular, vale experimentar o óleo essencial de Lemongrass para acalmar e centrar.

Aos 14 já é interessante olhar para o menino e para a menina em suas individualidades. A menina pode se beneficiar do óleo essencial de Gerânio, Camomila Romana ou Rosa Damascena nos ciclos, da Lavanda e Petitgrain para equilíbrio emocional, Grapefruit para ativar a força de vontade e criatividade. O menino se beneficia do óleo essencial de Alecrim, que é o óleo essencial da ousadia e poder pessoal. O óleo essencial de Cedro traz segurança e coragem, desperta a força interior e promove o aterramento.

Para cada criança, em sua individualidade, um óleo essencial

As indicações trazidas neste artigo são genéricas. Quem já tem experiência com aromaterapia pode seguir observando as contraindicações, quantidades de uso, reações.

Porém, para quem nunca teve uma vivência com óleo essencial, é muito importante uma consulta com aromaterapeuta. Isso vai direcionar melhor o uso dos óleos essenciais e evitar possíveis males pelo uso indevido e indiscriminado.

Como se pôde perceber, não é tão simples utilizar óleos essenciais com crianças, mas é possível e traz resultados maravilhosos diminuindo o uso de medicamentos e auxiliando outras terapias.

Enfim, crescer pode ser mais leve, aromático e equilibrado com o apoio dos óleos essenciais!

Escrito por Luiza Paim, mãe de 3 crianças e que utiliza a aromaterapia (com orientação da “tia” Zi) e passou a visitar bem menos a farmácia.

Revisão técnica de aromaterapia pela Elziane Paim, tia de 6 crianças com diversas idades e particularidades.