Aromaterapia

Óleos essenciais e a Aromaterapia: informações básicas

Com certeza você já deve ter ouvido falar de óleos essenciais. Nos últimos anos o uso destes produtos se popularizou no Brasil e, por isso, podemos encontrar informações de todos os tipos.

É preciso conhecer bem porque, apesar de serem extraídos de plantas, os óleos essenciais não podem ser usados de qualquer forma: há a dose e a via de uso certas e contraindicações que precisam ser conhecidas para que você obtenha os inúmeros benefícios deste tesouro da natureza!

A prática terapêutica que utiliza as propriedades dos óleos essenciais para equilíbrio do ser é a Aromaterapia, falaremos dela aqui também!

Óleos essenciais: da planta para o ser humano

Óleos essenciais são líquidos puros e muito concentrados extraídos de plantas. Eles contêm substâncias químicas com propriedades terapêuticas.

Eles são extraídos de diversas partes da planta: folhas, flores, sementes, caule, raiz. As formas mais comuns e eficazes de uso pelo ser humano é por inalação ou uso na pele.

Na inalação as moléculas aromáticas dos óleos essenciais se ligam aos nervos da membrana olfativa.

A partir daí essas moléculas estimulam as células nervosas que levam impulsos elétricos para o Bulbo Olfativo no cérebro e a partir dele chegam ao Sistema Límbico que é Sistema de Controle Emocional.

Mas as moléculas aromáticas também chegam à corrente sanguínea através do pulmão (quando o óleo é inalado) ou da epiderme (quando o óleo é aplicado na pele) gerando efeitos terapêuticos em vários órgãos do corpo.

Agora que você sabe o que são óleos essenciais, de onde vêm e como podem atuar no seu organismo, é hora de saber o passo a passo de como introduzir esta substância na sua vida e desfrutar de seus benefícios.

Aromaterapia: a arte de usar bem os óleos essenciais

Aromaterapia é uma terapia complementar que utiliza as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais para promover saúde e bem-estar das pessoas de forma integral. 

Porém o uso de óleos essenciais requer conhecimento e responsabilidade, por isso é importante saber fazer bom uso deles.

Introduzir a aromaterapia no seu dia a dia como hábito de autocuidado certamente trará equilíbrio para sua vida.

E a profissional que estuda e indica o uso dos óleos essenciais é a Aromaterapeuta.

Então, apenas ler as propriedades dos óleos essenciais e usar sem orientação de dose, aplicação e contraindicação pode ser perigoso ou ineficaz.

As orientações a seguir são da aromaterapeuta Zi, fundadora da Âme du Champ Aromaterapia.

4 passos para introduzir os óleos essenciais no dia a dia

A natureza nos presenteou com tudo: a essência de cada planta ajuda o ser humano a se equilibrar proporcionando bem-estar.

Sendo assim, conhecer as propriedades dos óleos essenciais vai te ajudar a saber quando e como utilizar.

Passo 1: conhecer as propriedades dos óleos essenciais

Os óleos essenciais possuem propriedades terapêuticas para o cuidado da saúde física, emocional, mental e vibracional. Por exemplo, se você tem dor de cabeça, o óleo essencial que você escolheu para tratar esse sintoma também pode atuar no seu emocional e na sua mente.


Passo 2: conhecer suas próprias necessidades

Considerando o exemplo acima, a dor de cabeça. Se observar para identificar a causa do sintoma é fundamental para uma escolha mais assertiva do óleo essencial.

  • Quando começa a dor de cabeça?
  • Em que parte da cabeça dói?
  • Qual a sua frequência?
  • Como você se porta? Fica agitado, nervoso? Ou desanimado?
  • Alguma outra parte do seu corpo também sente algum desconforto quando tem dor de cabeça?

Ao responder essas perguntas, você estará se observando de forma integral e com esse exercício você é capaz de se conhecer cada vez melhor.


Passo 3: como utilizar os óleos essenciais

Após escolher o óleo essencial, faça o teste olfativo. Óleo essencial não é como remédio, que “mesmo ruim tem que usar porque faz bem”. Se o aroma não te agradou ou causou algum desconforto não use.

Mas observe que este deve ser feito de forma que permita que seu organismo tenha tempo para assimilar o óleo essencial. Inale uma vez, inspire lentamente, observe. Inale novamente, perceba como seu corpo reage, o que sente, e após essa percepção decida qual óleo essencial usar.

Recomendamos a escolha de uma das formas de uso abaixo, a que for melhor para você:

  • INALAÇÃO: use o colar aromático ou no difusor de ambiente observando as quantidades seguras. (Vamos falar disso a seguir)
  • USO TÓPICO: dilua em bases carreadoras – óleos vegetais ou bases neutras – e aplique na pele.

Passo 4: vivenciar e desenvolver autoconhecimento

Quando você experimentar os benefícios dos óleos essenciais para além do aroma, vai ter passado pelo portal do autoconhecimento.

Isso porque mesmo com indicação clínica, apenas a vivência do óleo vai te dar a certeza de que ele funciona e como funciona.

Por exemplo: um óleo essencial foi indicado pela aromaterapeuta para te acalmar, mas ele te excita! Como assim? Simples: a equação é ÓLEO ESSENCIAL + VOCÊ = RESULTADO

Percebeu? A variável desta equação é sua própria essência. E combinada com a essência da planta (que tem inúmeras propriedades) vai resultar em um benefício específico. Muito interessante, não é?

Ou seja: não tem receita de bolo. É preciso experimentar, observar e sentir!


4 óleos essenciais para começar

Para facilitar sua caminhada, vamos detalhar aqui as propriedades, indicações e formas de uso de 4 óleos essenciais bem populares e suas características principais:

Tea Tree (Melaleuca alternifolia)

  • Antifúngico
  • Anti-inflamatório
  • Antiviral
  • Antimicrobiano
  • Antibacteriano
  • Imunoestimulante
  • Purificador energético de ambientes e pensamentos

Usos no dia a dia:

Inalar para estimular a imunidade, principalmente quando precisar enfrentar aglomerações.

Passar em machucados, acne, frieira, mas diluído em óleo vegetal.

Contraindicações uso em excesso

Lavanda (Lavandula angustifolia /Lavandula officinalis)

  • Ansiolítico
  • Relaxante mental e físico
  • Analgésico
  • Antibacteriano
  • Antiespasmódico
  • Antifúngico
  • Anti-inflamatório
  • Antisséptico
  • Carminativo
  • Diurético
  • Sedativo

Usos no dia a dia:

Inalar para aliviar dor de cabeça, para relaxar a mente, para ter bons sonhos.

Passar em queimaduras, cortes, inflamações de pele. machucados, acne, frieira. O óleo essencial de Lavanda pode ser usado diretamente na pele, em quantidades seguras, e também é eficaz se diluído em óleo vegetal.

Contraindicações uso em excesso

Eucalipto Glóbulos (Eucaliptus globulus)

  • Expectorante
  • Bactericida
  • Imunoestimulante
  • Estimulante mental
  • Equilibrador de energia

Usos no dia a dia:

Inalar para prevenir ou tratar resfriados. E também para tratar doenças respiratórias.

Passar nas articulações para dores reumáticas diluído em óleo vegetal.

Contraindicações uso em excesso , crianças menores de 6 anos e gestantes. Atenção com o uso em hipertensos.

Laranja Doce (Citrus aurantium dulcis)

  • Imunoestimulante
  • Anti-inflamatório
  • Digestivo
  • Reduz a pressão arterial
  • Estimula a criatividade
  • Ansiolítico
  • Animador

Usos no dia a dia:

Inalar para estimular a criatividade, para alegrar, para ajudar a dormir bem, para reduzir pressão arterial.

Contraindicações uso em excesso

E então? Animada/o para começar a usar os óleos essenciais?

Hoje explicamos o que são os óleos essenciais, aromaterapia e dei um passo a passo de como introduzir esta prática no seu dia a dia.

Assine o Blog Essencial e siga o perfil @ameduchamp no instagram e facebook para ficar bem informada/o e atualizada/o sobre o uso seguro e eficaz dos óleos essenciais.

Ah, e compartilhe com seus amigos e familiares! Leve estas orientações de bem-estar para quem você gosta.

Até a próxima, fique bem!

Escrito por: Luiza Paim

Revisão/conteúdo técnico da nossa aromaterapeuta Elziane Paim

(o email informado aqui será utilizado exclusivamente para envio de novos posts deste blog)